Header Ads

Em 2012, doe! "Saiba como ser um doador de Médula Óssea"


Texto de Ana Luísa Felipe

Olá Leitor do HUPE!

Espero que as festas de fim de ano tenham sido de acordo com o planejado por todos. 
Mas, mesmo com todas as festas, espero que sobre um espaço na cabeça de cada um para pensar em doação. Infelizmente, quando se fala em doação, a maioria pensa em coisas materiais, se esquecendo que existem outras formas de se doar pelo próximo. Quanto a isso, eu poderia falar sobre voluntariado ou qualquer outro ato de caridade, mas não, venho aqui com o intuito de divulgar o transplante de medula óssea.

Ultimamente o assunto vem sendo divulgado pela mídia, pois, como é de sabedoria de muitos, o ator Reynaldo Gianechinni, passou por momentos complicados por estar com linfoma, um tipo de câncer que afeta os gânglios linfáticos. Porém, existem pacientes com outros tipos de doença que precisam de um transplante de medula óssea. Dentre eles podemos citar alguns tipos de doença do sangue, como a leucemia ou em doenças que afetem gravemente as células sanguíneas, como a Anemia Aplástica Grave, em que não existe a produção de células do sangue na medula óssea.

Estima-se que no Brasil, existam 1400 pessoas esperando por um transplante de medula óssea. E é onde, eu e você, caro Leitor do HUPE, entramos. O cadastro para doação de medula óssea é voluntário, ou seja, a quantidade de doares só aumenta, quando o cadastro é feito em um Banco de Medula Óssea.
A necessidade desse Banco existe, porque, muitas vezes, o doador compatível não encontra-se na família do paciente. A compatibilidade pode ser entendida como uma semelhança genética, portanto um grau de parentesco aumenta a possibilidade da mesma. Em caso de irmãos do mesmo pai e da mesma mãe, a chance de se encontrar um doador pode chegar a 35%, porém, entre a população geral, a chance de se encontrar um doador é de 1 em 100.000 pessoas.



Agora você me pergunta, como eu posso fazer para me tornar um doador?


O primeiro passo, é fazer um cadastro no hemocentro mais próximo, depois do cadastro é feita a coleta de sangue.
Depois disso, são feitos vários testes de compatibilidade genética e sua medula fica cadastrada nesse banco MUNDIAL. Se a medula é compatível com algum paciente, o doador passa por um procedimento cirúrgico para retirada parcial (de 10 a 15%) da medula. Esse procedimento não oferece riscos, pois em todo o processo o doador recebe anestesia geral e fica internado por aproximadamente 24 horas. Em 15 dias a medula do doador já está recuperada. 

Recomenda-se que o doador de medula óssea tenha entre 18 e 55 anos, e goze de boa saúde, ou seja, quando comparada com a doação de sangue, em certos aspectos é menos restrito.

Para os leitores da região de Campinas, aproveito a postagem para fazer um apelo. 

Em outubro de 2011, a filha de 2 anos de amigos foi diagnosticada com leucemia mielóide aguda (um dos tipos mais graves), e se o tratamento com quimioterapia der certo, ela precisará de transplante. Aos que puderem, deixo aqui o folder do hemocentro da Unicamp, onde é feito o cadastro para doação. A Anne DeFavero Bertazzo também precisará de transfusão de sangue, devido ao tratamento, portanto quem puder comparecer ao Boldrini para doar, também será muito bem vindo. No final do ano fizemos uma campanha para doação e obtivemos informação de que chegamos a mais de 100 doações.

Vale lembrar, que para você pode ser alguns minutos, mas para vários pacientes, tal atitude de amor, pode significar uma vida.

Uma boa semana a todos
Saudações HUPE


Folder Hemocentro





--
Queria agradecer a minha amiga Ana Luísa Felipe por essa excelente contribuição.
Quando eu escrevi o meu post "Ano novo, vida velha?" eu fiquei refletindo uma série de coisas que eu queria fazer este ano, e claro, dividir com vocês. Uma das coisas que quero é poder ajudar mais o próximo... E pra isso, resolvi convidar algumas pessoas que estão por dentro de determinados temas! Outras contribuições virão ainda no blog....Aninha, muito obrigada!  (Mari Sobreiro)



Hupe Hupe Blog é uma idéia original de Mariana Sobreiro. Layout desenvolvido por Alex Coimbra. Tecnologia do Blogger.